A Cerveja É Vegana? Tudo O Que Precisa De Saber

Muitas das cervejas mais conhecidas não são consideradas veganas, no entanto a maioria são vegetarianas estritas.

Porém, algumas fábricas de cerveja utilizam produtos animais.

Apesar dos produtos animais não serem diretamente incluídos na cerveja, estes são utilizados durante a sua produção. A utilização de produtos animais tanto acontece na produção de algumas cervejas como de outras bebidas alcoólicas como é o caso de alguns vinhos ou champanhes.

O objetivo deste guia é explicar detalhadamente o processo de produção de cerveja e  compreender o que difere a cerveja vegana da não vegana.

Vou também mostrar-vos algumas opções de cervejas veganas.

Como é Feita a Cerveja?

Todos nós sabemos o que é a cerveja, mas nem todos sabemos como é produzida.

A preparação de cerveja é um processo com 8 passos que se inicia com a moagem do malte.
O vídeo de 5 minutos que se segue mostra a fabrica de cerveja Sagres e é uma forma fácil e rápida de perceber a sua produção.

De seguida vou explicar um pouco sobre cada uma das principais etapas da preparação de cerveja.

1- Moagem

Depois da cevada ser sujeita a um processo de germinação, é obtido o malte que é moído resultando numa farinha grosseira.

2- Brassagem

A farinha é misturada com água e sujeita a diferentes condições de temperatura, tempo e pH. Assim obtém-se um mosto com composição variável de acordo com o tipo de cerveja pretendida. O processo utiliza enzimas naturais do malte para quebrar o seu amido obtendo-se o açúcar.

3- Filtração do Mosto

Após a brassagem, o mosto passa por um processo de filtração no qual é separada a parte líquida (que segue para o fabrico de cerveja) da parte sólida (muitas vezes utilizada na produção de comida para gado).

4- Ebulição do Mosto

Esta etapa é importante para a esterilização do mosto que é colocado num tanque, onde ferve a temperaturas controladas. É nesta fase que é adicionado o lúpulo, uma planta  que confere à cerveja um aroma e sabor amargo específicos.

5- Separação do Lúpulo e Arrefecimento

Após a fervura o mosto passa novamente por uma fase de filtração, onde quaisquer partículas sólidas de lúpulo ou malte são removidas. De seguida o malte é devidamente arrefecido e fica pronto para a fermentação.

6- Fermentação

É nesta fase que o mosto é oficialmente convertido em cerveja. É adicionada a levedura, iniciando-se o processo de fermentação que geralmente dura entre 7 e 10 dias.

7- Maturação

Após a fermentação, a cerveja poderá passar por um processo de estabilização e maturação do seu sabor. Esta fase não é transversal a todas as cervejas, pois algumas delas seguem diretamente para a etapa seguinte.

8- Filtração, Carbonatação e Enchimento

Finalmente, a cerveja é pasteurizada e embalada em garrafa, lata ou barril.

Razões Pelas Quais a Cerveja Pode Não Ser Vegana

Enquanto na adega, na fase de clarificação e estabilização, algumas cervejas passam por uma refinação com o objetivo de remover elementos indesejados que podem afetar a sua aparência ou sabor.

São adicionados agentes clarificantes de forma a eliminar elementos que possam ter acrescentado alguma nebulosidade à cerveja.

Por exemplo, após a fermentação a levedura pode ficar suspensa indefinidamente, criando uma névoa. Um agente clarificante pode eliminar a levedura permanentemente e tornar a cerveja límpida e atrativa.

Nem todos os produtores gostam de utilizar este tipo de agentes, pois acreditam que priva a cerveja de ganhar o seu sabor e textura naturais.

Existem diferentes tipos de agentes clarificantes e a maioria utiliza produtos de origem animal como é o caso da cola-de-peixe e a gelatina.

Como geralmente as marcas de cerveja não se apresentam como veganas ou não-veganas, a não ser que faça uma pesquisa aprofundada, será difícil saber se a cerveja que gosta de beber é vegana ou não. Embora pouco frequente, poderá também existir adição de mel ou leite.

Cola-de-peixe

Infelizmente, a cola-de-peixe é extraída da bexiga de peixes, especialmente do esturjão. É uma substância rica em colagénio que se liga à levedura tornando-a suficientemente grande para filtrar.

É uma prática bastante comum, ainda que atualmente exista mais atenção devido ao crescimento do vegetarianismo.

Gelatina

Algumas cervejarias também contam com a gelatina para clarear a sua cerveja, pois esta é eficaz na redução de proteínas e polifenóis provenientes do malte e lúpulo que podem estar a criar a névoa na cerveja.

Tal como o pó de cola-de-peixe, o pó de gelatina é misturado com água e adicionado à cerveja para eliminar a névoa.

Apesar da utilização frequente de cola-de-peixe ou gelatina, algumas cervejarias utilizam agentes clarificantes que não são de origem animal. Exemplo disso são as pastilhas whirfloc à base de algas marinhas ou os agentes provenientes de musgo-do-mar, que é uma alga de coloração vermelha.

Algumas cervejas poderão ter adição de sabor e cor

A maioria das cervejas, especialmente as originais, não têm adição de sabor ou cor. No entanto também existem cervejas que têm nos seus ingredientes um ou outro sabor ou corante.

Numa volta rápida ao supermercado encontrei duas cervejas pretas, a cristal preta e a superbock stout que apresentam adição de cor.

Se já és vegano há algum tempo, talvez já estejas consciente de que algumas vezes os sabores e cores adicionadas aos alimentos ou bebidas são de origem animal.

Os sabores adicionados aos alimentos podem ser criados a partir de substâncias extraídas de animais ou plantas, como fruta, vegetais, especiarias, cascas, raízes, carne, marisco, lacticínios, ovos.

Por exemplo um sabor não vegano frequentemente utilizado em alguns alimentos é o castóreo, uma substância ligeiramente doce extraída das secreções anais dos castores.

Os sabores e cores adicionados a algumas cervejas poderão ser ou não veganos. Se o tipo de cor ou sabor não for especificado no rótulo, o ideal é contactar a marca.

Cores artificiais e os testes em animais

Nos testes em animais o objetivo é descobrir se uma determinada substância, neste caso uma cor artificial é segura ou não. Justificam-se estes testes como sendo um mal necessário para que possamos comer e beber a maioria dos alimentos.

No final de contas, a vida dos animais torna-se insignificante sendo muitos deles descartados após “uso”.

Assim, as cores artificiais que frequentemente lemos nos rótulos, podem até não ser de origem animal, mas estão conectadas ao sofrimento animal.

Testes em Animais & Patrocínios

Algumas grandes empresas, especialmente multinacionais ainda testam os seus produtos ou ingredientes em animais. Outras, não testam mas terceirizam os testes. E outras, não testam diretamente, mas alguns ingredientes poderão ser testados quando exigido por lei. 

Muitas ainda patrocinam eventos que utilizam animais, como rodeios, montaria de touros, corridas, espetáculos de entretenimento, onde os animais sofrem e alguns morrem.

Como Descobrir Se Uma Cerveja Tem Ingredientes Animais

Ora esta é a parte complicada, pois através do rótulo consegue-se compreender se a cerveja não tem ingredientes de origem animal ou se tem adição de sabores ou cores (que poderão ser veganos ou não).

Mas não é possível saber se a cerveja é definitivamente vegana, ou seja, pelo rótulo nunca se saberá se foram utilizados agentes clarificantes (como a cola-de-peixe ou a gelatina) durante a produção.

Sem a internet, seria necessário entrar em contacto com as companhias para saber se a cerveja é processada com ingredientes animais ou não. Felizmente há alguém que faz isso por nós.

Barnivore é um website em Inglês, onde, sem gastar dinheiro, podes descobrir se a cerveja que gostas de beber contém ou não ingredientes animais.

Barnivore

A equipa do Barnivore entra em contacto com as empresas através de e-mail para saber se a cerveja é ou não vegana. Acima está o exemplo da cerveja Skol, da qual foi obtida uma resposta que diz: “Informamos que nenhum momento do nosso processo de fabricação, utilizamos qualquer insumo de origem animal.

Ainda assim, devo referir que a “receita” da cerveja não é fixa, os fabricantes poderão ao longo do tempo mudar o método de fabrico ou até os ingredientes da cerveja. Alerto para o exemplo da Skol, que foi uma informação obtida há cerca de 7 anos, a empresa pode ter mantido o mesmo método de produção ao longo dos anos, mas só teremos certeza se contactarmos a empresa.

Além disso, parece-me que o termo vegano neste contexto é utilizado tendo em conta os ingredientes e o método de produção, mas sem considerar as marcas em si, as companhias a quem pertencem, possíveis testes em animais e patrocínios a eventos com animais.

Barnivore é uma excelente ferramenta para verificar se as bebidas não foram confecionadas utilizando ingredientes animais, mas para verificar se são 100% livres de crueldade é necessária uma pesquisa mais profunda.

Existe também o website Lokobeer que reúne informações rotulando as cervejas como veganas ou não veganas, tendo em consideração as empresas proprietárias e os patrocínios em animais.

Cervejas Famosas Que São Livres de Ingredientes Animais Mas Não São Veganas

A lista de marcas de cerveja é inacabável. Com ajuda do barnivore sabemos que existem umas quantas que são vegetarianas estritas. No entanto, muitas ainda tem alguma crueldade associada.

Brahma


Autor Sebástian Freire, Tomando um chopp black da Brahma, CC BY-SA 2.0, via Flickr.

Brahma é uma marca de cerveja brasileira, criada em 1888, confecionada sem ingredientes de origem animal.

A equipa do Barnivore recebeu uma confirmação há cerca de 4 meses que afirma que a cerveja continua a ser “vegana”.

A cerveja não é verdadeiramente vegana, uma vez que pertence à Ambev que patrocina imensos rodeios pelo Brasil. No entanto, é considerada vegetariana estrita.

Outras cervejas da Ambev são: Adriática, Antarctica, Beck’s, Berrió do Piauí, Bohemia, Budweiser, Caracu, Cervejaria Colorado, Corona, Esmera de Goiás, Franziskaner, Goose Island, Hertog Jan, Hoegaarden, Leffe, Legítima, Löwenbräu, Magnífica do Maranhão, Norteña, Nossa, Patagonia, Polar, Quilmes, Serramalte, Serrana, Skol, Stella Artois, Três Fidalgas, Wäls. (Fonte: Ambev.com.br)

Sagres


Autor Fredrik Rubensson, sagres, CC BY-SA 2.0, via Flickr.

É uma marca de cerveja Portuguesa e nenhum dos seus subtipos, bohemia, radler, preta, cascade e zero contêm ingredientes de origem animal. Confirmado pelo Barnivore há cerca de 3 meses.

A Sagres não é considerada 100% vegana por pertencer ao grupo Heineken, que utiliza cavalos como marketing e patrocina alguns eventos que utilizam animais, como o polo.

Heineken


CC0 1.0, via hippopx.

A Heineken foi criada na Holanda há mais de 150 anos e é uma das marcas mais reconhecidas e populares mundialmente. É uma cerveja vegetariana estrita independentemente do país onde a compre.

Não é considerada vegana pelo motivo que referi em cima.

Budweiser

Cerveja Budweiser

É a cerveja mais vendida nos Estados Unidos, e é vegetariana estrita em tudo mundo, pois a sua composição e produção é livre de ingredientes animais em todos os países de distribuição.

É também muito conhecida no Brasil e não é considerada vegana devido aos patrocínios a eventos que usam animais, nomeadamente rodeios.

Guinness


Autor Ernest_Roy, via Pixabay.

Tal como a Heineken, a Guinness é uma marca de cerveja famosa mundialmente. É preciso ter especial atenção porque enquanto algumas cervejas da marca são livres de ingredientes animais outras não.

Guiness (original), West Indies Porter, Blonde American Lager, Extra Stout, Black Lager, Original XX, Foreign Extra Stout, Golden Ale, Dublin Porter, Hop House 13, Rockshore Irish Lager e Kaliber são as variedades vegetarianas estritas da empresa Guinness.

As restantes, Harp Lager, Citra IPA, The 1759, Dublin Amber Ale, Hoppy Pilsner, Rye Pale Ale e Nitro IPA não são vegetarianas estritas.

A Guinness pertence à empresa Diageo e também não é considerada 100% vegana devido aos patrocínios a eventos que usam animais, como rodeios e corridas de cavalos.

Marcas de Cerveja Veganas

Em baixo indico várias marcas que vendem cervejas veganas (organizadas de acordo com o seu país de origem). Relembro que as empresas frequentemente modificam as receitas ou adicionam novas cervejas ao portfólio, por isso, é sempre bom verificar o rótulo.

Portugal Brasil
Bolina*
Cheers
Coruja
Cristal
Dois Corvos**
Musa
Oitava Colina
Super Bock
*Todas são veganas com exceção da All-in que contém lactose.
**Alguns estilos como milk stouts ou pastry stouts podem conter lactose ou mel.
Barco
Bierland
Catarina
Coruja
Fritz Natur
Germânia
Klein
Lübeck
Madalena
Praya*
Saint Bier
Schornstein
Tupiniquim
*Com certificação vegana e preocupação em minimizar o impacto ambiental.
Alemanha Bélgica
Ayinger 

St-Feuillien
Vedett

Dinamarca  EUA
Faxe Anderson Valley
Sierra Nevada
Holanda
La Trappe

Conclusão

De fato, a maioria das cervejas são pelo menos vegetarianas estritas, isto é, livres de qualquer ingrediente de origem animal.

No entanto algumas empresas poderão utilizar agentes clarificantes (cola de peixe ou gelatina) no processo de produção e tornar a cerveja não vegetariana. Algumas cervejas poderão ter adição de sabores ou cores não veganas.

Existem três formas de saber se a cerveja que gosta foi produzida com ingredientes de origem animal:

Contactar a empresa que produz a cerveja: verificar os ingredientes utilizados e o processo de produção.

Visitar o website Barnivore.com: a maioria das cervejas foram reavaliadas recentemente, no entanto ainda existem marcas com respostas dadas há mais de 5 anos. Para além disso, neste website pode também pesquisar sobre licores ou vinhos que sejam do seu agrado.

Visitar o website Lokobeer.com: distingue as cervejas veganas das não veganas.

Grande parte das cervejas mais famosas não contêm ingredientes animais, mas não são consideradas 100% veganas devido aos patrocínios de eventos que utilizam animais, como rodeios, corridas e espetáculos de entretenimento.


Este post contém links de afiliados, o que significa que posso receber uma pequena comissão, sem nenhum custo adicional, se comprares através destes links.

Cláudia Reis

O meu nome é Cláudia e tornei-me vegana há cinco anos. Tenho licenciatura em fisioterapia, adoro viajar e aprender sobre o corpo humano, veganismo e sustentabilidade. O amor que tenho pela natureza leva-me a querer contribuir para a liberdade e bem-estar animal.

Iodo Na Dieta Vegana: Guia Com Tudo O Que Precisas de Saber
Previous Post Iodo Na Dieta Vegana: Guia Com Tudo O Que Precisas de Saber
Marshmallow É Vegano? Tudo O Que Precisas De Saber
Next Post Marshmallow É Vegano? Tudo O Que Precisas De Saber